Principal articulador do PT, o ex-ministro José Dirceu tem passado os dias fora da cadeia desenhando uma espécie de polícia paralela, que ele batizou de “Rede Nacional de Inteligência Cidadã”. Os “investigadores” da organização seriam militantes de partidos de esquerda, de movimentos sociais e os que se identificam com as causas socialistas e comunistas. Ele defendeu a ideia em um evento da Central Única dos Trabalhadores (CUT), braço sindical do PT. A informação é da revista Cruzoé.

Os “investigadores” de esquerda monitorariam militantes de direita nas redes sociais e abusariam da contra-espionagem para descobrir problemas de políticos contrários a Lula.

Zé tem experiencia na área. Já confessou em diversas oportunidades que trabalhou para o serviço secreto cubano. O deputado federal Paulo Martins (PSC) quer saber, quem vai pagar a conta.

Este site não cansa de avisar que Zé é perigoso. O ex-presidiário nega a intenção.