Unânimes, desembargadores confirmaram sentença no caso do Sítio de Atibaia e amentaram a pena para 17 anos de cadeia

Não fosse a manobra do Supremo Tribunal Federal para libertar presos em segunda instância Lula estaria duplamente preso neste momento. A Oitava Turma do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), que cuida da Lava Jato de Curitiba, condenou por unanimidade há pouco o ex-presidente Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo do sítio de Atibaia. Além de confirmar a pena dele foi aumentada de 12 anos para 17 anos e um mês de prisão, em regime fechado.

“Pouco importa se a propriedade formal ou material do sítio é de Bittar ou Lula. Há fortes indicativos que a propriedade possa não ser de Bittar, mas fato é que Lula usava o imóvel com ‘animus rem sibi habendi’ (que significa uma intenção de ter a coisa como sua). Temos farta documentação de provas”

João Pedro Gebran Neto, desembargador TRF-4

O petista pode recorrer em liberdade e, claro, já avisou que vai recorrer.